Qual a diferença entre Low, No e Hard Code?

Esta é uma das perguntas que mais recebemos atualmente, então resolvemos respondê-la em detalhes.

Você sabe a diferença entre no, low e hard code? Não? Então este texto é para você. Tentamos ser o mais didáticos possíveis, e inserimos alguns exemplos para ajudar sedimentar os conceitos, através da nossa prática.

No code (sem código):

No code é um tipo de desenvolvimento de software que permite aos usuários criar aplicativos sem a necessidade de escrever código. Ele usa uma interface visual para criar fluxos de trabalho e lógica de negócios em vez de escrever código. É uma solução que visa simplificar o processo de desenvolvimento de aplicativos para usuários com pouco ou nenhum conhecimento em programação. Você pode aprofundar neste artigo.

Exemplo: O Airtable é uma plataforma de gerenciamento de banco de dados que usa uma interface visual para criar e gerenciar bancos de dados. Por meio dele, é possível criar diversos sistemas, inclusive de agendamento em serviços físicos, gestão de estoque, etc.

Vantagens:

  1. Permite que usuários sem conhecimento em programação criem aplicativos e fluxos de trabalho.
  2. Reduz o tempo e o custo de desenvolvimento de aplicativos.
  3. Permite que os usuários criem protótipos rapidamente e iterem sobre eles facilmente.

Desvantagens:

  1. Limitado em termos de recursos e funcionalidades.
  2. Não é adequado para aplicativos complexos e personalizados.
  3. Não é escalável para grandes projetos.

Low code (código reduzido):

Low code é um tipo de desenvolvimento de software que usa uma quantidade mínima de codificação para criar aplicativos. Ele usa uma interface visual para criar componentes de aplicativos e, em seguida, usa código para conectar esses componentes. É uma solução que visa simplificar o processo de desenvolvimento de aplicativos, reduzindo a quantidade de codificação necessária.

Exemplo: O Salesforce é uma plataforma de gerenciamento de relacionamento com o cliente (CRM) que usa uma interface visual para criar e gerenciar fluxos de trabalho e processos de negócios.

Vantagens:

  1. Reduz a quantidade de codificação necessária, o que reduz o tempo e o custo de desenvolvimento de aplicativos.
  2. Permite que os usuários criem aplicativos personalizados sem a necessidade de habilidades de codificação.
  3. Permite que os usuários personalizem fluxos de trabalho e processos de negócios.

Desvantagens:

  1. Se não for devidamente planejado, pode acarretar em dificuldades para escalar os projetos e criar funcionalidades mais complexas. Muitas empresas erram nesta parte, porque, apesar de ser possível conectar softwares Low Code com outras aplicações existentes da própria empresa, se não houver um estudo de arquitetura de dados e a criação de APIS bem feitas, o projeto pode demorar muito mais do que o planejado. Importante dizer que diversas ferramentas Low Code, como o Flutterflow, já tem conexão com bancos de dados como FireBase e SupaBase, o que leva essas soluções a outro nível, pois economizam muito tempo para conectar com outros sistemas.

Hard code (código rígido):

Hard code é um tipo de desenvolvimento de software que usa uma quantidade significativa de codificação para criar aplicativos. É uma solução que oferece flexibilidade e controle total sobre o processo de desenvolvimento de aplicativos, permitindo que os desenvolvedores criem aplicativos personalizados e complexos.

Exemplo: O sistema de gerenciamento de estoque de uma grande loja de varejo pode ser um exemplo de aplicativo hard code.

Vantagens:

  1. Permite que os desenvolvedores criem aplicativos personalizados e complexos.
  2. Oferece flexibilidade e controle total sobre o processo de desenvolvimento de aplicativos.
  3. Pode ser escalável para grandes projetos.

Desvantagens:

  1. Requer habilidades avançadas de codificação e desenvolvimento de software.
  2. Pode levar mais tempo e custar mais para desenvolver do que outras soluções.
  3. Pode ser mais difícil de iterar e atualizar do que outras soluções.

Fale Conosco

Mais artigos